Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


06 dezembro, 2007

Alcione no "Som às Sete"

Alcione se apresentou ontem no popular projeto Som às Sete, do Teatro Sesc-Ginástico. Foi feito "na calmaria, sem aquele bandão todo atrás de mim" - como já definiu a Marrom na abertura da última de suas duas apresentações no projeto. No palco, apenas a cantora e o correto tecladista Alexandre Menezes. Na platéia lotada, fãs afoitos e entusiasmados pelo instante íntimo e quase pessoal com sua estrela. Entre uma música e outra, ela - a estrela - desceu do salto e fez piadas e até discurso ecológico para o seu público, majoritariamente feminino e gay. A informalidade também se estendeu ao roteiro moldado de acordo com os vários pedidos do público. Pediram Menino sem Juízo, A Loba, Você me Vira a Cabeça (Me Tira do Sério), Garoto Maroto e outros hits do repertório mais sentimental da Marrom. Bem-humorada e com a segurança de quem domina este repertório, Alcione atendeu logo todos os pedidos. E aproveitou para badalar a próxima música de trabalho do irregular CD De Tudo que Eu Gosto. A eleita - a ser promovida pela gravadora Indie Records depois do Carnaval - é Quando o Amor Bater na Porta, balada de Altay Veloso que traz o romantismo que caracterizou este show da Marrom no Som às Sete. O público pode ouvir sucessos como Nem Morta, Estranha Loucura, Ou Ela ou Eu, Sufoco, Maria da Penha e Meu Ébano. Até mesmo as surpresas do repertório - Molambo e Ontem à Noite - vieram do atual show da boa artista. Ainda assim, a apresentação cumpriu seu objetivo ao promover o descontraído encontro de uma cantora popular com seu público em projeto também popular.

Fonte: Notas Musicais

6 comentários:

  1. OI AMIGA, PASSEI PRA DIZER QUE...

    AMO MUITO TUDO ISSO!!!

    BEIJOCASSSSSSSSSSSSS MARRONS PRA TI

    ResponderExcluir
  2. Valeu, negaaaa!
    Obrigada por me prestigiar sempre!
    Sabe que a recíproca é verdadeira!Bjão!

    ResponderExcluir
  3. olá sou um fã da marron e tenho uma musica que gostaria de ver na voz dela ...meu nome é Ulisses, e agradeço o espaço , meu fone é 011/5934-0594 .

    ResponderExcluir
  4. Oi Marron!
    Meu nome é Carlos Alberto, sou pai da Regina Ferreira, rainha da bateria da Juventude Imperial que a homenageou no carnaval desse ano.
    Como eu trabalho no Rio não pude estar presente em seu show naquela oportunidade.
    Minha presença aqui é para lhe pedir um favor para uma grande amiga que é a Sandra Portella que cantou com você naquela oportuniodade e que precisa fazer um contato com você. O tel dela é (32)9967-4846 e o meu é (21)9618-5901, ou caferreira2756@gmail.com. Desde já agradeço.
    Um grande abraço
    Carlos Alberto Ferreira

    ResponderExcluir
  5. Carlos, entre em contato com a produção da Alcione pelo e-mail:
    contato@nazaretheventos.com
    Fone: (21)2497-0170

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. oi,amiga goosto muito de e do teu blog..

    ResponderExcluir