Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


18 março, 2008

É hoje o show em Campos dos Goytacazes/RJ


Alcione, a Marrom, comemora 36 anos de carreira com seu novo trabalho, De Tudo Que Eu Gosto. Dentro do Circuito Cênico de MPB, faz show no Teatro Trianon, hoje, dia 18 de março, às 21 horas. Os ingressos custam R$ 50,00 e estão a venda nas bilheterias do teatro.

2 comentários:

  1. Olá Joelma, primeiramente parabéns pela belíssima página. Vou lhe fazer um relato. rsrsr. Vamos lá: Um belo dia, fui convidado por uns amigos para assistir a estréia do tão falado "De tudo que eu gosto" no Citibank. Confesso que não estava nos meus melhores dias, mas fui pra ver no que iria dar.
    Na entrada do Citibank, Solange - já a conhecia, pois sou produtor cultural no RJ e ela é uma das mais conhecidas do meio. Enfim, a mulher era só sorrisos. Fiquei só esperando....
    Quando o espetáculo começou aquele silêncio e só a luz percussão, pensei: O cão tá vindo aí! E veio. A cantora entrou com "As forças da natureza", a voz num volume que o citibank parecia vir à baixo.
    A criatura mal respirou, deu boa noite e saiu emendando com Molambo, Ontem a noite, Edmundo...
    E eu só dizia: "meu pai do Céu, o que é isso?!"
    Trocou de roupa umas três vezes... sempre com uma jogada deslumbrannte. Ah...teve um momento em que um telão descia no fundo do palco, mostrando um texto e umas imagens e nas laterais, cortinas iam descendo ao som de Meu Ébano.
    Sai dalí meio doido. Doido pra ver de novo. E vi. Ainda bem que fui na sexta e deu tempo de correr na bilheteria e comprar pro domingo.
    Conclusão, virei fã! Não agüentei fui cumprimentar a Solange - que no fim do espetáculo já estava com o sorriso dobrado...falei com a Alcione...
    Ufa! Perdoe a amolação, mas tinha que falar...rsrsrsr. Bjo e a partir de hoje sou freqüentador assíduo desse blogger também.
    Bjo. Murillo

    ResponderExcluir
  2. Murillo...
    O que posso dizer depois de ler esse relato tão emocionado/emocionante?
    Seja muito, muito bem-vindo! Alcione é maravilhosa mesmo! Um talento extraordinário que enobrece a música popular brasielira.
    Muitos amigos fiz por intermédio desse vício que é amar a arte da Marrom! Espero fazer mais um...rsrsrs. Agora já podemos nos considerar sócios da mesma paixão.
    Nos prestigie sempre!
    Bjos!

    ResponderExcluir