Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


17 julho, 2008

Compositor da Portela homenageia a Marrom em 2005

Em 2005, a Portela viveu um incidente histórico que impediu a participação dos integrantes da velha guarda no desfile da escola. O carro da águia quebrou, e para evitar de perder pontos, o presidente da agremiação mandou fechar os portões da concentração e deixou personalidades históricas da comunidade sem desfilar. Na época, o presidente afirmou que, se não fechasse os portões, a escola perderia um ponto por cada minuto de atraso, e a escola já tinha perdido pontos na harmonia. Francisco Pereira, compositor da escola estava lá:

"A velha guarda e a nossa ala de compositores ia fechar o desfile, mas fomos impedidos de desfilar. Foi quando a Marrom a nosso lado pediu ao público que nos aplaudisse, o que me deixou sensibilizado, pois eu chorava calculando que a escola ia descer. Aquele gesto dela me inspirou nesse samba choro, feito em parceria com
Beto Fininho que é quem canta. Depois de algum tempo fui entregar a ela pessoalmente, depois de um show na lona cultural Gilbrto Gil . Fiquei no camarim uns trinta minutos. Ela foi muito gentil comigo e perguntou se tinha alguém para gravar o samba. Respondi que Tia Surica da Velha Guarda da Portela havia se interessado. Entretanto, o tempo passou, e ficou pra trás o fato gerador da música. De qualquer forma, valeu o meu agradecimento. "


Um comentário:

  1. Joelma e todos que vêm contribuindo:
    Obrigado pelo acervo de coisas tão enriquecedoras culturalmente, que não teríamos acesso em outra oportunidade.

    Glauber 97

    ResponderExcluir