Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


14 outubro, 2008

Show Cartola Eterno





Quase trinta anos após sua morte, Cartola foi reverenciado no palco da casa de shows Canecão, no Rio de Janeiro, na noite de segunda-feira (13). No espetáculo “Cartola Eterno”, em homenagem ao aniversário de cem anos do sambista, nomes como Maria Rita, Alcione, Beth Carvalho, Leci Brandão e Sandra de Sá reverenciaram sua obra.

O compositor, que faria aniversário no último sábado (11), foi um dos fundadores da Escola de Samba Mangueira e morreu no dia 30 de novembro de 1980 no Rio de Janeiro.





"Ele é tão importante para o samba quanto para a MPB. Não apenas pela obra valiosa, mas também porque foi um dos fundadores da Estação Primeira. Foi ele que deu as cores para a Mangueira. Suas músicas continuam vivendo através das vozes de artistas das mais variadas gerações. É atemporal", derrete-se Alcione.



Nenhum comentário:

Postar um comentário