Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


01 novembro, 2008

Som Brasil Cartola


Por Joelma Linhares

Gente, que programa lindo! Eu, que já estava mais pra lá do que pra cá, perdi até o sono ao ver aquele profissionalismo todo, não só da parte dos artistas, mas de quem produziu o espetáculo!
Alcione foi perfeita e excepcional, fazendo o elo entre Cartola, que ela tão bem conheceu, cuja casa frequentou como amiga e que garbosamente representou musicalmente ao longo de sua carreia, e esta geração mais nova de cantores brasileiros, que só nos dá orgulho.

Vanessa da Mata mandou um "As rosas não falam" de arrepiar qualquer um. Jamais poderia achar que me surpreenderia novamente com a interpretação de uma música que apesar de majestosa, já é bem usual aos nossos ouvidos.

Teresa Cristina e o Grupo Semente também deram seu recado com muito talento, e Pedro Moraes... meu Deeeeeeeeeeeeus!!! Aquele "Nervos de aço" me desestabilizou. Os arranjos foram surpreendentes, ousados e magníficos. E as interpretações, então, nem se fala. Untadas na mais profunda emoção que é louvar este grande mestre.

E no final, Cartola cantando "Tive sim" em frente a sua casa, no morro da Mangueira. Aqueles créditos não podiam ter subido nessa hora!!!

Cartola com certeza se sentiu honrado! E nós somos um povo privilegiado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário