Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


13 janeiro, 2009

Nas Asas do Frevo



O projeto Asas da América teve início em 1979 e como último lançamento teve o vol.7 em 1990, contabilizando aproximadamente 11 anos de sucesso absoluto. O lp de 89 trouxe a participação de Alcione cantando a música Banho de Cheiro, sucesso imortalizado na voz de Elba Ramalho. Leia o texto escrito por Aramis Millarch por ocasião do lançamento deste lp:

"Asas da América, edição 1989 - novamente selo BMG - traz em seu repertório novos frevos de Carlos Fernando, percorrendo o eixo clássico do Carnaval brasileiro (Rio/Salvador/Recife/Olinda).

É o caso de "No Dia em que Cristo Falou", interpretado por Chico Buarque, uma homenagem à Cidade Maravilhosa dedicada a Joãozinho Trinta e seu Cristo dos favelados; "Bahia Maria", na voz de Luiz Caldas; "Menina Pernambucana", com Alceu Valença; "Noites Olindenses", interpretada por Caetano; "Mamãe Aparecida", com o comercialíssimo Michael Sullivan - única presença dispensável neste disco. Este álbum - apropriado para ser catituado agora, neste período pré-carnavalesco - vale também como uma "frevologia", pois Carlos Fernando incluiu quatro deles que sacudiram o Brasil: "Atrás do Trio Elétrico", lançado por Caetano há 21 anos, agora com Lulu Santos; "Frevo Mulher" (1979), de Zé Ramalho com a voz de Amelinha e a sanfona de Dominguinhos; "Festa do Interior" (1982), com Gal Costa e "Banho de Cheiro", sucesso de Elba Ramalho há 7 anos, agora com Alcione. O repertório é complementado com "Pela Paz" (Geraldo Azevedo), "Molhadinho de Suor", de Petrúcio Maia (com Fagner) e "É Ele, o Frevo", com o Trio da Alegria, onde o suingue nordestino conquista as vozes infantis.

Carlos Fernando, um pernambucano apaixonado por frevo, produziu há dez anos um disco fascinante: "Asas da América", reunindo diferentes intérpretes para divulgar a grande música do seu Estado. Comemorando esta década de chuva, suor e sol, purpurina e cerveja, chega o sexto da série - após os dois primeiros lançados pela CBS (1979/80), dois pela Ariola (1981/83) e uma compilação pela SBK (1988). Ao longo destes discos o frevo ganhou o mundo através de vozes mais diversas do falecido Jakson do Pandeiro às Frenéticas, do MPB 4 à Gilberto Gil, servindo de denominador comum a vários estilos e mostrando como o frevo pode receber os mais diversos tratamentos."

Publicado originalmente em:
Veiculo: Estado do Paraná
Caderno ou Suplemento: Almanaque
Coluna ou Seção: Música
Página: 17
Data: 11/02/1990

Nenhum comentário:

Postar um comentário