Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


11 fevereiro, 2009

Show de Verão da Mangueira em Sampa.


Por Carlos Fernando Marão

Ontem fui surpreendido com a ligação de Cristina (secretária da cantora) dizendo Alcione estava aqui em São Paulo para o Show de Verão da Mangueira e estava me convidando para eu ir com ela.

Cheguei lá e a nossa negona estava cansadíssima, já que desde a noite anterior (ela fez dois eventos nesta noite) não tinha conseguido dormir bem. Porém, estava empolgadíssima com o show que aconteceria mais tarde! Colocamos o papo em dia, demos muitas risadas e assistimos tv. Ela tentou descansar um pouco, jantou e saímos rumo ao HSBC Brasil.

Chegamos lá por volta das 20 hrs e fomos bem recebidos desde a entrada, já com risadas e brincadeiras. Estava eu, Alcione, Yolanda (camareira da cantora) e Tania Fanel, produtora e amiga da Marrom de longas datas, que encontramos no hall do hotel. Como ela estava indo para o mesmo lugar, foi conosco, nos fazendo rir o tempo inteiro, relembrando histórias das duas.

No camarim, o maquiador já aguardava Alcione. Camarim esse que seria dividido com Emílio Santiago e Leci Brandão, e que eu chamei de ''Orgulho de Zumbi''. O show anterior, no Rio, era o principal assunto nos camarins e bastidores. Todos os cantores que chegavam ou mesmo os que já estavam lá, passavam no camarim 02 para cumprimentar aquela que seria realmente ovacionada naquela noite: nossa negona!

Sempre me apresentando a todos e contando a história da amizade entre nossas família, Alcione só confirmou (mais uma vez!) o nosso amor de mãe e filho. Brincou comigo e Martn'alia dizendo que ali acontecia um encontro de irmãos (já que somos filhos dela...rsrs). Com seu leque amarelo em punho, (que ela mesmo apelidou de ''comunitário'' pelo tamanho, e que fazia um imenso barulho quando ela o abria), nós dois descemos para assistir da lateral do palco a abertura do show feita por Emílio Santiago.

E assim a noite prosseguiu: Martn'alia, Sombrinha, Roberta Sá, Leci Brandão, Rosemary (homenageando Carmem Miranda), Maria Rita, Marcelo D2, Arlindo Cruz e Luizito... Maria Rita entoou "Não Deixe o Samba Morrer' e na segunda parte, a voz indescritível de Alcione tomou conta dos quatro cantos daquela casa, arrancando os mais calorosos aplausos da platéia inteira.

Aproveitando a temática da Mangueira desse ano, a Marrom mostrou o seu cantinho no Brasil, o nosso amado Maranhão, cantando "Boi de Lágrimas" e arrancou gritos eufóricos de todos com "Estranha Loucura". No encerramento do show, quando todos os artistas foram pro palco, Alcione se mostrou a mais animada quando Luizito junto com a bateria, Marquinhos e Giovana (mestre-sala e porta-bandeira) e belas mulatas, puxou o samba enredo de 2009, fazendo todo mundo cair no samba!

Já de volta ao camarim, um pequeno diálogo me chamou muito a atenção. Leci arrumando suas coisas, disse pra Alcione: ''Mais um ano, hein Marrom?'' e Alcione, sentada de frente pro espelho, respondeu: ''É! Mais um de muitos que já passaram e muitos que virão, com a graça de Deus''. Ali eu pude sentir a intensidade do amor verdadeiro delas pela Mangueira... Enfim, foi um dos melhores shows que eu já participei.

Meia-noite a cortina vermelha se fechou mas o coração verde-e-rosa de todo mundo que marcou presença está pulsando mais forte, com mais garra! E eu só tenho a agradecer a minha mãe preta por ela ter me proporcionado mais essa alegria... Te amo muitoooo minha negona!!!







Nenhum comentário:

Postar um comentário