Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


23 abril, 2009

Festa em homenagem à São Jorge, em Santa Cruz, RJ, 20.04.2009.

Por Carlos Fernando Marão

Show em praça pública é sempre bom! Bom para o artista que vai onde o grande público está e bom para o público que tem a oportunidade de ver seu ídolo de perto. Muito calor humano e troca de vibrações positivas.

Ao som de "Alcione... cadê você? Eu vim aqui só pra te ver", a Marrom saiu do camarim montado no canto direito do palco, saudando São Jorge, o grande homenageado da noite. Fomos todos vestidos com as cores do guerreiro padroeiro, assim como a Marrom, que estava toda de vermelho.

O show começou pontualmente à meia-noite desta última segunda-feira (20) em Santa Cruz, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro. Foi um oferecimento do deputado Jorge Babu (grande devoto do santo e orixá), com o apoio da Rádio Costa Verde e produzido pela irmã de Alcione, Maria Helena (que chegou ao show vestindo a camisa do nosso Blog Morena Forrozera do Cangote Suado).

Alcione passeou por grandes sucessos de sua carreira como “Ou Ela Ou Eu”, “Estranha Loucura”, “Garoto Maroto”, “Perdeu Perdeu”, “Entidade”, “Meu Vicio é Você”, e contou com a participação de Marcelo Chocolate em “Meu Ébano” e “Eu Te Procuro”.

Com seu trompete saudou Cartola em as “Rosas Não Falam”, Nelson Cavaquinho em “Quando Eu Me Chamar Saudade”, e exaltou sua vida em “Resumo”. Se despediu do público com “Obrigada”, saudando mais uma vez São Jorge (que era o pano de fundo do palco) e Ogum, sua representação nas religiões de cunho africano!

No camarim, recebeu rapidamente para fotos e autógrafos, sendo muito elogiada e acarinhada por todos! Tudo o que ela merece sempre.









Nenhum comentário:

Postar um comentário