Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


28 maio, 2009

Grandes emoções eu vivi.

Por Carlos Fernando Marão

Solange, Luiza, Alcione e eu no camarim, antes do show
É inexplicável a sensação de poder ter visto de perto uma das mais importantes celebrações da música popular brasileira. O Rei Roberto Carlos comemorando suas bodas de ouro ao lado de vinte vozes femininas, de todas as gerações e estilos, que se uniram para celebrar aquele que há 50 anos canta, de uma forma singular, o amor, o perdão, os encontros, os desencontros, o acaso...

O show começou às 21hs e 30 min desta terça-feira (26), e mesmo com o atraso, a emoção de quem ocupou cada lugar do Teatro Municipal de São Paulo era maior do que tudo! Só talvez não tenha sido maior do que a ansiedade de experientes cantoras, verdadeiras divas, emocionadas com o grandioso convite e desejosas de fazer ali o seu melhor.

Hebe abriu o show lindamente, seguida de Luiza Possi e sua mãe, Zizi, que depois do dueto cantou sozinha. Eu, que já dominava o roteiro exatamente no ponto em que ele me interessava, sabia que em segundos estaria diante do meu instante mais esperado! E desta linha em diante, amigos, o difícil é escrever para além do sentimento.

Quando Alcione rasgou o teatro com o vozeirão, bendizendo os primeiros versos de ‘’Sua Estupidez’’, deu para sentir como a verdade de uma interpretação pode tocar a todos com tamanha intensidade. Foram minutos de forte sintonia, em que cada gesto e cada nota nos capturavam o olhar e a emoção. Durante toda a sua majestosa apresentação foi assim, todos absortos, servos do seu talento.

Outras cantoras também passaram de forma brilhante pelo palco, com destaque para Wanderléia (outra performance linda), Nana Caymmi e Ana Carolina, que foi interrompida várias vezes por calorosos aplausos!

No último número individual, Ivete anunciou a vez do grande homenageado da noite. Roberto Carlos caminhou do fundo do palco em direção à platéia e foi recebido de pé, com as honras próprias que se reserva a um rei. Depois de cantar ‘’Emoções’’, as cantoras retornaram e o cercaram para dividir com ele ‘’Como É Grande o Meu Amor Por Você’’. Alcione foi a última. E provavelmente não tenha sido por acaso, ela é poderosa! Aplausos!!! As cortinas se fecharam... Alcione abraçada ao Rei! Foi com certeza uma das maiores emoções que eu já vivi e o maior espetáculo que eu já presenciei!

Voltando para os bastidores, eu e Luiza estávamos em lágrimas. Recebemos Nana Caymmi sob os aplausos de quem não consegue encontrar a medida certa das palavras. Ela agradeceu e não se conteve, igualmente emocionada. Tudo nesse show foi especial, de uma energia que jamais senti. Uma emoção indescritível, imensurável. Dessa noite, eu jamais esquecerei!




Nenhum comentário:

Postar um comentário