Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!

01 agosto, 2009

'Acesa' é a primeira música de trabalho do novo álbum de Alcione.


Fonte: JORNAL CULTURA VIVA - por Edson Soares

O novo álbum de Alcione estará nas lojas nas primeiras semanas de agosto e já terá música de trabalho aportando nas rádios: a faixa- título "Acesa", composta pela carioca Telma Tavares e o baiano Roque Ferreira. "Acesa", o próximo CD da Marrom, tb chega com sucesso novinho em folha na telinha: "Eu vou pra Lapa", que consta da trilha sonora de "Caminho das Índias". Aliás, recentemente, por conta do samba composto por Serginho Meriti e Claudinho Guimarães, a Marrom fez uma apresentação na gafieira "Estudantina", a locação mais animada da telenovela.

No novo CD de Alcione, participações especiais do Grupo Revelação ( na música "O samba me chamou", de Sombrinha e Marquinho PQD), e de Wilson Simoninha ("Chutando o Balde", de Nei Lopes, que ganhou arranjo do próprio Simoninha). Também da compositora e cantora Telma Tavares mas, dessa vez em parceria com Paulo César Feital, o samba "Nair Grande" (a bambambã do fuzuê), que conta a história real de uma das matriarcas da Mangueira (Nair foi uma das fundadoras do Bloco dos Arengueiros, que deu origem à Estação Primeira). "Dama da Paixão", de Umberto Tavares e do talentoso sobrinho da artista, Jefferson Júnior, e "Eu não domino esssa paixão", dos hitmakers Nenéo e Paulinho Resende, também estão entre os prováveis sucessos do disco.

Mas é mesmo em "Acesa" que existe a união entre os dois lados da Marrom Alcione, como relata Rodrigo Faour no release que irá acompanhar o disco para a imprensa: "É a música que une os dois climas básicos do disco – o sambístico e o romântico – e não por acaso é a faixa-título e também a primeira de trabalho para as rádios, Acesa. “Só come gostoso se for no meu prato/ Só sonha bonito no meu cobertor”, dizem versos que ganham outro sabor na interpretação muito irreverente, quente e sincera da Marrom. Aliás, este é um dos trunfos da cantora. Por isso, a cada novo disco, muitos compositores procuram assimilar novas gírias e ditos populares para criar canções especialmente para ela" analisa, com propriedade, o jornalista e pesquisador Faour.
No álbum "Acesa", o 34° da carreira e fruto de uma bela parceria entre a Indie Records com a Sony Music, a participação sempre especial dos companheiros da "Banda do Sol". Arranjos de Jota Moraes, Zé Américo, Alexandre Menezes, Julinho Teixeira, Ivan Paulo e do produtor Jorge Cardoso (e de Simoninha em "Chutando o balde", conforme mencionado).

Nenhum comentário:

Postar um comentário