Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!

02 agosto, 2009

Alcione foi a estrela da penúltima noite da Festa do Estudante de Triunfo.

Fonte: Portal Pernambuco, por Natália Dantas

Na penúltima noite da 51ª Festa do Estudante de Triunfo, a estrela que brilhou não foi prateada ou dourada, mas sim marrom. Com a companhia do cantor Neto Melo e Banda, da Orquestra Anos Dourados e do forrozeiro Josildo Sá, a cantora Alcione foi a grande anfitriã da festa.

Fazendo parte do hall de atrações mais esperadas de todo o festival, às 23h a sambista Alcione já adentrou o palco ovacionada. O público, estimado em 20 mil pessoas pela Polícia Militar, aplaudiu, chamou pela cantora e cantou junto todas as canções. Com um repertório calcado nos 37 anos de carreira, a Marrom, como é conhecida, não deixou de fora sucessos como "Meu ébano", "Você me vira a cabeça", "Eu vou pra Lapa" e a clássica "Não deixe o samba morrer", música que, segundo a artista, definiu a sua carreira.

O show de cerca de uma hora e meia foi de muito carinho e conversa entre a cantora e a platéia. Em dado momento, Alcione agradeceu pelos presentes dados por um grupo de fãs composto por iguarias famosas em Triunfo, como a rapadura e a cachaça. "Obrigada, pessoal. Amanhã quem mais vai comer rapadura sou eu!", brincou. Para encerrar o show, Alcione, que não se apresentava na cidade há quatro anos, agradeceu a todos os presentes e a Deus com a canção-oração "Obrigada".

Para seguir com o clima de emoção, o forrozeiro Josildo Sá abriu seu show com o arranjo de um trecho da Missa do Vaqueiro. Depois o cantor puxou o fole e levantou a poeira da Praça Coronel Carolino Campos, seguindo até as 4h da manhã com muito forró.

Nenhum comentário:

Postar um comentário