Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


08 outubro, 2009

Bom Dia Rio reúne amigos de Cartola para homenagem na quadra da Mangueira.

Fonte: Bom Dia Rio

Nesta sexta-feira (9), o Bom Dia vai prestar uma homenagem a Angenor de Oliveira, o Cartola, compositor que mudou a forma de se fazer samba. Ele completaria 101 anos no dia 11 de outubro. A edição também é especial porque comemora 1 ano do Café da Manhã do Bom Dia Rio, que começa às 6h30.

E para festejar essa data, o programa levou um bolo para a quadra da sua escola de coração, a Mangueira, e convidaram antigos parceiros e amigos para contar um pouco mais sobre a vida de um dos principais artistas da música popular brasileira.

O compositor Hermínio de Carvalho conta como se tornou parceiro de Cartola, com quem compôs “Alvorada”, junto a Carlos Cachaça. “Nasceu ali, uma parceria de vida, de música, de uma grande amizade. Sobretudo, porque Cartola e Zica acabaram sendo meus afilhados de casamento”.

Nilcemar Nogueira, neta do sambista, revela velhos hábitos do avô e conta como Cartola era em casa. “Meu avô era uma pessoa bem tranquila, acordava muito cedo, e era ele quem definia qual seria o almoço. Quando nós acordávamos, ele já tinha ido à rua e tinha comprado o que era o cardápio do dia”.

Elton Medeiros lembra da época em que frequentava o Zicartola, restaurante que Cartola abriu com a esposa, Zica, e que se tornou reduto dos principais sambistas da época, como Nelson Cavaquinho, Zé Kéti, Paulinho da Viola, entre outros.

Outra convidada ilustre do “Café da Manhã” é a cantora Alcione que conta como conheceu Cartola pela Dona Zica e revela a sua paixão pela Mangueira. “Eu me apaixonei pela Mangueira, por causa das cores. Foi Cartola. Era o verde da esperança, e o rosa do amor. Essas cores sempre me apaixonaram”.

Não, perca, nesta sexta-feira (9) essa grande homenagem do Bom Dia Rio ao compositor que imortalizou canções que são verdadeiras obras-primas da música brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário