Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


18 dezembro, 2009

Alcione participa de homenagem a João do Vale, no Maranhão.


Por Raydenisson Sá
Maranhense de grande vulto na cultura de seu estado, João do Vale recebeu justa homenagem ontem (17), no lançamento de um cd com 6 músicas de sua autoria, interpretadas pelos cantores Alcione, Carlinhos Veloz e Milla Camões.

O evento, que começou com um pouco de atraso, trouxe na abertura a atriz Neves Azevedo recitando lindamente a poesia “João Pedreiras do Vale”, de sua autoria. Em seguida, foi exibido um documentário com depoimentos de amigos e familiares de João do Vale, entre eles, Chico Anísyo, Nara Leão, Miúcha, Rita Ribeiro e outros. Depois de discursar, o presidente da FIEMA entregou a Riva, filho de João do Vale, Alcione, Carlinhos Veloz, Milla Camões e Neves Azevedo o troféu “Carcará” pela importância que eles tem na divulgação da memória de João do Vale.

Milla Camões interpretou "Estrela Miúda", dando início ao pocket show que ainda teria Carlinhos Veloz interpretando "Pisa na Fulô". Marrom, sentada próximo ao palco, incentivava os amigos. Ela cantou "De Teresina a São Luís", que gravou no disco Emoções Reais (1991) e que regravou para o disco “João do Vale, a força do Carcará” (2009). Solicitando a presença de seu violonista, Alvinho, falou da amizade de seu pai, João Carlos, com João do Vale. Ensejo para “Cajueiro Velho”, uma homenagem a essa amizade.

Sua participação ainda teve homenagem à Clara Nunes: “ já que estamos homenageando João, e Clara Nunes gostava muito dele, vou cantar uma música que minha amiga Clara pediu que cantasse na Igreja quando ela se casasse. Infelizmente, Deus a chamou!” Marrom deu um banho cantando "À Flor da pele". Emendou com a música “Conheço esse menino” do espetáculo “Alabê de Jerusalém”, de Altay Veloso. Com Carlinhos Veloz cantou "Imperador Tocantins". Foi muito bonito ver o público cantando junto com eles. Alcione comentou: “ele não é um qualquer!” Ele respondeu: “realmente não sou, porque Alcione já gravou duas músicas minhas!” Ela replicou: “gravei três, quatro, cinco, seis, sete!” E eles se abraçaram!

Alcione se despediu do público fazendo menção à toada “A despedida”, gravada por ela no disco “Almas e Corações”, de 1983. E o povo gritava: “mais um, mais um!” Marrom entoou “Carcará”, agradeceu o convite, falou da importância de João do Vale e se despediu de todos. Na saída do palco, posou para a foto oficial do evento, com Carlinhos Veloz, Milla Camões e alguns empresários. Atendeu rapidamente a imprensa local e nós do blog.


Nenhum comentário:

Postar um comentário