Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


09 março, 2010

Noite de sábado encerrou a curta temporada no Teatro Rival.


Por Ricardo Erse

É pau... é pedra...
As águas de março estão fechando o verão no Rio de Janeiro. Última noite de show do Teatro Rival. Diversas pessoas ainda tentavam um lugar - mas os ingressos já estavam esgotados. O céu de fim de tarde estava bem cinzento. Mais uma tarde abafada. De repente, as águas rolaram. Quem já tinha ingresso entrou e tomou seu lugar. Mas a chuva veio lavar a alma da cidade, no final desta semana de aniversário. A rua Álvaro Alvim (onde fica o teatro) alagou. A água da chuva parecia querer ver o show: entrou, descendo as escadas e invadindo a platéia. A direção da casa controlou a situação, mas pediu paciência. A Marrom iria "atrasar" por causa de quem ficou preso no trânsito.

Para nós, do Morena Forrozera, foi momento de reencontro: Carlos Fernando Marão, Luan Penedo e eu colocamos a conversa em dia, esperando ansiosos pelo show. Às 20hs e 20min, as luzes se apagaram e abriram-se as cortinas. Alcione entrou, homenageando a Cidade Maravilhosa. Pediu licença para abrir a noite, cantando em homenagem ao lugar que deu a ela oportunidade. E como sabemos que a Marrom é grata a quem lhe deu oportunidade na vida! Mais adiante, veio o momento de abrir espaço para o novo trabalho, “Acesa”, com a música título e o agradecimento à compositora Telma Tavares, que estava na área. Lugar também para “Dama da Paixão" e o agradecimento ao sobrinho Jefferson Júnior, que compôs essa música, e os sucessos eternos: "Meu ébano", "A loba", "Faz uma loucura por mim", "Não pense em mim", entre outros.

Na noite de encerramento da temporada, estava um dos maiores amigos e colegas de Alcione. O maior cantor do Brasil, na opinião dela e deste blog, Emílio Santiago, com quem a negona dividiu o palco. Marrom elogiou o "vozeirão" do amigo. A platéia pediu que ele cantasse "Saigon" e o acompanhou em coro. Os dois dividiram músicas como "Eu e a Brisa" (que deu o primeiro lugar para a até então iniciante Alcione no programa de calouros Sendas do Sucesso) e "Ilusão à toa", em homenagem ao compositor Jonnhy Alf, falecido essa semana.

Nossa estrela estava feliz: fez as suas piadas, contou casos, se abanou com um enorme leque preto. Disse que se ela tivesse nascido homem, o pai teria problemas, porque ela seria certamente uma "drag". Animada e com a voz muito límpida, disse da felicidade que está experimentando por ter a oportunidade de gravar o Dvd "Acesa" na sua terra, São Luís (MA), no próximo dia 07 de abril. Será à beira mar, prestando a justa homenagem aos conterrâneos, que nunca tiveram a chance de vê-la gravando um trabalho ao vivo. Atenção, colegas do blog: quem puder, anote na agenda! Dia 07, no Maranhão.

Alcione homenageou a transformista Luana, presente ao show. Enfatizou a nobreza do trabalho social que ela faz em prol dos necessitados da Lapa e dos portadores de HIV, com o Grupo Pela Vidda, e falou do orgulho de tê-la como amiga.

Para fechar a noite, as duas músicas que não podem faltar: "Não deixe o samba morrer" e "Obrigada". Com um largo sorriso, em companhia de seus "produtores mirins", Juju, sua sobrinha, e Odail, filho de Vera de Sá, nossa diva deixou o palco.

Para finalizar, não podemos deixar de reiterar nossos agradecimentos à equipe de Alcione: Vera, Claudinha, Solange, Soca e Penco, que nos receberam com o carinho e atenção de sempre. Vocês, como a "patroa", são 10. Obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário