Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!

26 maio, 2010

No primeiro show no Teatro Bradesco, Alcione atendeu a pedidos dos fãs.


Por Carlos Fernando Marão
Com grande empolgação, o público paulista recebeu a nossa Marrom, em turnê com o show "Acesa", na noite da última terça (25), no palco do Teatro Bradesco. Desde a entrada até o back stage, a casa impressiona pela modernidade aliada à elegância típica de teatros de grande porte. Antes do show, Alcione, que não cantava em São Paulo desde outubro do ano passado, concedeu entrevista para a TV Cultura, falando principalmente sobre o seu novo DVD, que foi gravado em São Luís e tem previsão de ser lançado logo no começo do segundo semestre.

Alcione cantou músicas como "Mangueira é Mãe", "De Teresina a São Luís", "Acesa", "Mulher Ideal", "Estranha Loucura", "A Dor Que Me Visita" e "Meu Ébano". Num momento alto do show, contou com a participação especial de Simoninha no dueto "Chutando o Balde'', assim como no CD e no DVD.
Na platéia, Sandrinha e família (além de mim) representavam o Blog/Fã-Clube Morena Forrozera. Também marcaram presença os apresentadores Leão Lobo e Ratinho, que fez Alcione lembrar de uma história. “Uma vez, uma louca ficava ligando lá para o meu escritório dizendo ser minha filha. E que inclusive tinha herdado o dom de cantar, e que iria ao programa do Ratinho fazer um teste de DNA. Não perdi tempo e mandei: 'vai que ele te segura e eu te encho de porrada, te quebro os dentes da frente todinhos.Vê se ela foi...’’ Rsrs...

Com esse mesmo humor e o carisma de sempre, ela atendeu a pedidos de fãs. Incluiu "Nem Morta" no roteiro e o alterou quando uma fã pediu "A Loba", dizendo: "não era pra agora! Lá vem vocês mudando meu roteiro... mas já que o povo quer, vamos lá’’. Alcione também fez o bloco "Cantando no Banheiro" onde homenageia cantoras como Ângela Maria e Rita Lee. No pout-pourri que somou Louis Armstrong e Carlos Lyra, tocando trompete, homenageou seu pai, o maestro João Carlos. Encerrou com "Não Deixe o Samba Morrer".

Ao término do show, recebeu a equipe de reportagem da Revista Veja, onde declarou, entre outras coisas, que Dilma Rousseff é a candidata dela. Depois de uma noite de casa lotada, hoje, o Teatro Bradesco abre novamente suas portas. Aproveite e confira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário