Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!

17 junho, 2010

Cd de raridades... raridades mesmoooo!

Em 2008, a gravadora Som Livre lançou uma coletânea com músicas de Alcione que não constam em sua discografia. O título, "Raridades". O setting de músicas era perfeito, entretanto, para quem acompanha Alcione, decepcionava por não corresponder ao que o título anunciava. Dois duetos, "Violão e Voz", com Ana Carolina, e "Mel Pra Minha Dor", com o saudoso Roberto Ribeiro, já tinham entrado na coletânea da BMG, Alcione e Amigos, de 2004.

Pois esta semana fomos agraciados com uma notícia, divulgada por Paulo Araújo, repórter da Rádio Difusora Teresina-Pí. Segundo ele, dia 20 próximo, Alcione estará lançando uma nova coletânea pela Universal com raridades. Neste caso, com raridades mesmo!!! Eu quero dizer: aquelas pérolas que só os Morenos Forrozeros tem, como, por exemplo, sobras de estúdio, os sambas enredos gravados em 75 e as versões em espanhol de O Surdo (O Surdo) e Sufoco (Que Dilema), que Marrom gravou para o mercado latino nos anos 80.

Nenhum comentário:

Postar um comentário