Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


26 junho, 2011

Beija Flor se rende à Marrom!

Por Luan Penedo

Alcione foi fazer show na quadra da Beija Flor nesta última quinta-feira (22) e eu, é claro, fui conferir! Ela, como mangueirense que é, provou mais uma vez que o samba não cabe em um pavilhão, pois a quadra da azul e branco simplesmente lotou para ouvi-la cantar. Quadra lotada, todos ansiosos para o início do show e eis que surge nossa Marrom para fazer um espetáculo digno de uma diva do samba. O repertório foi diversificado, do maravilhoso pout-pourri de Jorge Ben Jor à majestosa “As Rosas Não Falam” de Cartola, com direito à introdução tocada pela nega em seu trompete. Teve ainda “Quando Eu Me Chamar Saudade” de Nelson Cavaquinho, “Poder da Criação” de João Nogueira e ainda outro pout-pourri de Dona Jovelina. Isso tudo para ratificar a todos que o samba não tem fronteiras.



Em um momento especial, o presidente da Agremiação, Nelson Sennas David, o Nelsinho, entregou uma placa em homenagem à Marrom. Aproveitou também para informar a ela sobre o enredo da escola para o ano de 2012 sobre o Maranhão e disse que ela será homenageada como grande maranhense representante de seu povo. Alcione não escondeu sua alegria e em retribuição cantou a toada maranhense “Maranhão, Meu Tesouro Meu Torrão” do LP Ouro e Cobre de 1988.

Chegado o fim do show, nossa mangueirense, com a ajuda da comunidade, entoou o samba da Beija Flor campeão nesse ano de 2011, fazendo a quadra ferver mais ainda. Nossa nega não é mole, não!

Nenhum comentário:

Postar um comentário