Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


29 agosto, 2011

Alcione repete participação no show Samba Suor Brasileiro do Rio de Janeiro

Fonte: O Dia On Line
Não é só o carioca que sabe sambar. Paulista também é ‘bom sujeito’ e tem gingado. Para provar isso e fazer uma homenagem ao gênero genuinamente brasileiro, as companhias de dança Sociedade Masculina e Studio3 chegam hoje ao Rio com o espetáculo ‘Samba Suor Brasileiro’. Inspirado na história interestadual do ritmo, que inclui ainda o samba da Bahia, o show terá toda a renda revertida para o Retiro dos Artistas.

“‘Samba’ é uma releitura das diversas formas como o gênero se apresenta no Brasil. É uma homenagem a esta vasta história repleta de geniais compositores. Tudo com uma roupagem bem diferente do que estamos acostumados a ver”, revela Anselmo Zolla, coreógrafo que assina a direção da montagem junto com José Possi Neto.

São 20 bailarinos dançando ao som de 11 percursionistas tocando ao vivo. Além disso, ‘Samba’ conta com a participação especial das cantoras Alcione, Zizi Possi e Paula Lima, que interpretarão, cada uma ao seu estilo, composições de artistas como Villa-Lobos, Gonzaguinha, Dorival Caymmi e Paulinho da Viola.

Para montar o espetáculo, Anselmo e os dançarinos tiveram aulas de samba de gafieira, porta-bandeira e mestre-sala e até de como sambar para fazer a releitura. “Aprendemos a base de diversas formas de samba, mas não é uma apresentação tipo exportação, com mulatas dando show. A ideia é trazer os movimentos do estilo para o cenário da dança contemporânea”, explica o coreógrafo.

E como não poderia deixar de ser, o espetáculo também exala sensualidade. “O samba é sensual. E isso também vai estar presente nos movimentos dos bailarinos. Gingado e suingue são características do corpo e do jeito brasileiro”, diz Anselmo, que está ansioso pela apresentação na cidade: “Eu sou de São Paulo e é um grande prazer e desafio estar com essa montagem no Rio, que é a terra do samba. Ninguém pode negar isso”.

‘Samba Suor Brasileiro’ tem apresentações hoje e amanhã, às 21h, no teatro Oi Casa Grande, que fica na Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, no Leblon. Os ingressos custam de R$30 a R$100. Mais informações pelo telefone 2511-0800.

Nenhum comentário:

Postar um comentário