Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


06 agosto, 2011

Morenos Forrozeros na gravação do DVD "Alcione Duas Faces Ao Vivo na Mangueira"

Morenos Forrozeros, nós somos assim... preparados de nascença para cair na música e, acima de qualquer coisa, cair na estrada... sempre espreitando alguma oportunidade para poder se encontrar e festejar o amor comum que nutrimos por aquela que consideramos ser a maior de todas as divas. E eis que surge o ensejo mais que perfeito: a gravação de um novo DVD, desta vez em terras sui generis, onde reside em versos a realeza do samba, da poesia de Cartola à genialidade de Nelson Cavaquinho. De grandeza ímpar não apenas o cenário, mas a razão do projeto: celebrar 40 anos de carreira da nossa querida Marrom. E, de repente, estávamos lá no pé da ladeira, de frente pro morro da Mangueira. Embaixo do viaduto, e como tem gente! Gente do sul, do sudeste, gente do norte e do nordeste.

40 anos!!! E de pensar que a grande maioria de nós sequer existia no jeitinho dela, na cor de canela de “Tem dendê”! Alcione é maior em sua genialidade. Não há um tempo capaz de emoldurá-la, porque sua arte transcende tudo. Alcione é a própria globalização!!! Em solo verde e rosa, no berço sagrado do samba, vimos ali reunidas várias gerações, da Velha Guarda da Mangueira aos amigos, convidados, familiares, admiradores e fãs... Alcione, o grande amálgama entre nós. A liga que junta o antigo e o novo, o sofisticado e o simples, o preto e o branco, o morro e o asfalto; e tudo com uma sutileza tamanha, a ponto de ninguém perceber o quanto somos ou podemos ser diferentes.

Foi, realmente, um momento único, mágico. Alcione e Mangueira se dizem. Elas se misturam, se completam e se suplantam. Então, Marrom estava em casa, na cor da Mangueira, mais feliz do que nunca, mais vibrante, o que acaba sendo ratificado pela bela descrição do show, tão bem apresentada pela jornalista Fabíola Ortiz do site Uol , já publicada aqui em nosso blog. Os convidados estavam impecáveis no contexto do show: Maíra Freitas, Orquestra de Violinos da verde e rosa, Leci Brandão, MV Bill, Diogo Nogueira, Jorge Aragão e bateria da Mangueira.





 
Só resta dizer que na festa em comemoração aos 40 anos de carreira de Alcione, quem deu o presente foi ela. Além do espetáculo inesquecível, a gravação da música mais votada em nossa enquete, “Metade de Mim”. Voz e piano. Nós e ela. Uma prova de carinho para com estes fãs que a seguem por onde quer que ela vá. Obrigada, Marrom!






Nenhum comentário:

Postar um comentário