Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


26 outubro, 2011

A Bahia se rende à Marrom

Por Igor Sacramento e Bruno Castro
Eram 21hs e 10 minutos quando todas as luzes do TCA se apagaram. Ao abrir a cortina vermelha do palco, eis que surge todo brilho, a grande estrela, nossa diva acompanhada de sua Banda, arrancando suspiros e aplausos. Marrom estava linda num vestido digno da noite de gala que seria aquela. Cantando os versos de “Tem Dendê/ Figa de Guiné” com uma voz impecável, soou como uma linda homenagem ao Estado que, conforme ela mesma disse, não poderia ficar de fora dessa comemoração, já que aqui estão muitos anos da sua carreira e muitos acontecimentos e oportunidades que com certeza a marcou ao. Alcione agradeceu a presença de todos.

Marrom enlouqueceu todo TCA, diga-se de passagem, lotado, entoando “Mulher Ideal”,“ A Loba” e ”Perdeu Perdeu”. Em seguida, mencionou a votação que fizemos aqui no Blog, onde foram eleitas “Metade de Mim” e “Medo” como músicas favoritas do fã clube para regravação no trabalho novo. Nos prestou essa homenagem. Aí claro, nos manifestamos. Ela abriu os braços em nossa direção e estampou um largo sorriso sendo muito aplaudida pelos presentes. “Medo”, sem dúvida alguma, foi um dos pontos altos da noite. Que arranjo! Que voz e que gingado! Marrom desfilava lindamente pelo palco em ritmo de bolero, sendo ovacionada.

As músicas inéditas do novo projeto “Alcione Duas Faces” não deixaram nada a desejar, ao contrário, foram ouvidas com atenção e emoção. ”Quem já esteve só”, música de Paulo Cesar Pinheiro e Ivor Lancellotti, emocionou há todos pela grande letra e interpretação muito aplaudida. “Beco Sem Saída”, lindo samba que compõe o DVD Duas Faces – Ao Vivo na Mangueira, levantou o público. “Todavia”, música chilena que Marrom confessou ter guardado por muito tempo, com certeza, valeu a pena esperar. O Show seguiu assim, músicas inéditas mescladas com grandes sucessos já gravados como “Poder da Criação”, do grande João Nogueira.

Durante a troca de figurino foram passados trechos do DVD Duas Faces – Jam Session, que a cada depoimento dos convidados, Bethânia, Emilio, Lenine, Martinhos, Djavan, arrancavam suspiros dos presentes. De repente, lá vem a Marrom de verde e rosa puxando versos de “Ilha de Maré” e mais uma vez todo TCA tremeu. Como se não fosse o bastante, ela emendou “Araketu/Afreketê”. Depois, foi a hora do bate-papo. Divertiu a todos com suas histórias: a da câimbra na perna que a acometeu no palco, a importância da Bahia, na sua carreira, a importância de sermos gratos a Deus; e da participação do MV Bill, o “Bonito” com Postura! (Que ela reverenciou bastante).

E lá foi atender um pedido de uma fã, “O que é que eu Faço amanhã”, grande composição de José Augusto e que o público cantou junto com a Marrom. “Cajueiro Velho”, entre outros sucessos como “Meu Ébano”, também estiveram presentes. Encerrou o show agradecendo a todos e cantando “Brasil de Oliveira da Silva do Samba”. Aproximou-se do palco para cumprimentar sua platéia. Quando ela nos viu, perguntamos se ela poderia nos receber e tivemos o tão esperado sinal positivo. Avistamos Claudinha e Rosana, ambas muito simpáticas. E após um tempinho já na recepção do teatro, Júlio, por intermédio de Vera e de toda produção, chegou nos procurando para nos conduzir ao camarim. Cumprimentamos toda a produção, Patrícia, Rosana e em especial Claudinha, todas sempre muito simpáticas. Sem falar da Banda do Sol, em especial, Alvinho, Luizão e Lázaro. Nossa Marrom, apesar de cansada após um show longo, nos recebeu. Não deixamos de falar da nossa satisfação em revê-la. Ela agradeceu o carinho, autografou CDs e tirou nossa tão esperada foto.




E assim se encerra uma noite mágica de encanto no palco e fora também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário