Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


03 novembro, 2011

Alcione é Alcione, né meu colega?

Por Yann Fernandes
Na Noite deste último sábado (29), Belo Horizonte se agitou para o show mais esperado da cidade: Alcione Duas Faces. A expectativa era grande, já que há 4 anos, Marrom não cantava para o povo mineiro. Às 21hs, já se aglomerava muita gente à frente da casa de show. Todos ansiosos por um espetáculo que prometia ser inesquecível, o que não é raro quando o assunto é Dona Alcione. Assim que entramos, pudemos constatar que a casa estava mesmo cheia! Cadeiras e pista lotados .

Às 22:15 hs as luzes baixaram. Foi possível ouvir o depoimento da Marrom que antecede a faixa 1 do seu mais novo cd “Duas Faces Jam Session” e, quando a cortina se abriu, surgiu ela radiante, vestida de azul, com um sorriso enorme no rosto, demonstrando a felicidade que era estar alí cantando para aquele povo. Nossa cantora abriu o show com o tradicional Pout-Pourri “Tem Dendê/Figa de Guiné”, entoado com todo o poder de sua voz! Nem parecia que tinha feito um grande show no dia anterior. O público estava dividido: para alguns a música era inédita; para muitos outros, era mais que conhecida. Logo depois, para surpresa geral na nação, ela cantou “Além da Cama” e outro Pout-Pourri; “Mulher Ideal/ A Loba”. Foram só aplausos.

Alcione fez questão de agradecer ao clube de futebol Atlético Mineiro pelos presentes que ganhou. E tocou o barco com “Medo”, anunciando que foi a música que ficou em segundo lugar na votação do seu Fã-clube. Logo depois, “Metade de mim”, que ficou em primeiro lugar. Ainda desfilaram por ali muitos sucessos. Um dos pontos altos da noite foi quando nossa cantora, de surpresa, cantou o Pout-Pourri “Nem Morta/Garoto Maroto”. No começo todos acharam que seria só uma, mas quando veio "Garoto Maroto" na sequência, o delírio foi total, uma chuva de aplausos!!

Na troca de roupa, Marrom foi aplaudidíssima por seu figurino impecável e digno de uma festa como aquela. No final do show, apresentou e pediu aplausos para toda a sua banda, que novamente estava no ponto! Afinadíssima como sempre! Cantou “Brasil de Oliveira da Silva do Samba” e a cortina foi se fechando, sobre fortes e longos aplausos.

No final do show, o tumulto era grande no corredor do camarim. Todos queriam dar um abraço naquela moça que fez daquela noite, uma noite especial. A produção prontamente nos atendeu e contornamos a situação; fomos ansiosos dar aquele cheiro na nossa Marrom. Ela, apesar de muito cansada, nos atendeu com todo carinho e atenção de sempre. Pediu para que tirássemos uma foto coletiva, para que fosse mais rápido. Todos falaram com ela, e era agradecimento atrás de agradecimento. Logo após a nossa saída do camarim, fomos até a porta do estacionamento esperá-la. Ela passou de carro e nos mandou um beijo. Para muitos alí, foi uma noite inesquecível. Alcione é Alcione, né meu colega?

Nenhum comentário:

Postar um comentário