Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


08 novembro, 2011

Alcione fechou a noite em Recife

Por Viviane Andreza
Eu e Reginaldo chegamos ao Chevrolet Hall às 18:30hs da última sexta-feira (04) e ficamos esperando Rica e Bira. Para surpresa nossa, quando esperávamos por eles, ouvimos a Banda do Sol passando o som. Ficamos no portão para aguardar a saída dos músicos. Por volta das 19:40hs quem aparece neste portão? Penco! Com aquela simpatia toda veio ao nosso encontro, nos abraçou e nos informou que Alcione só chegaria à casa por volta das 00:30hs e que ela seria a última atração da noite. Atrás de Penco, veio Vera que, quando nos viu, disse “eu não acredito que vocês já estão aqui (os dois danadinhos!). Vocês vão esperar demais, a cantora vai demorar”. Mas como somos do blog, fãs e incansáveis, respondemos na mesma hora: “por ela, esperamos, sem problema”. Nos disse, sempre muito atenciosa, que teria um bolo no camarim, e que assim que ela chegasse ao local, ligaria para galera falar com a Marrom.

Rica e Bira chegaram às 20:30hs. (Rica com um pacote enorme de feijão verde para presentear a cantora... Ave Maria!!!). Às 22hs, entramos na casa, assistimos o show do Fernando Mendes e a gravação do DVD do cantor José Augusto. Era por volta de 1:10hs da manhã quando Vera, através de Bimbão, chamou a galera do blog. Cada encontro é como se fosse o primeiro, o coração acelera e a emoção é única. A cantora com todo seu carinho recebeu o blog, agradeceu, atendendo um de cada vez. Ricarda foi a primeira. Com todo o seu feijão, foi recebida com muita graça (Alcione olhou para a Rica e disse: “menina, onde você arranjou tanto feijão? Chegando no Rio eu mesma vou dar conta de cuidar desse feijão”).

O segundo foi o Reginaldo, que chegou com sua pasta cheia de LPs (Alcione olhou para ele e mandou essa: “não tem fim esses seus discos?! Você tem coisas que eu não tenho). Reginaldo ainda levou duas fotos antigas para serem autografadas (Alcione na mesma hora disse “pequeno, vou autografar. Não quero essas fotos para mim”). Então, ele a presenteou com uma delas, deixando-a muito feliz. Depois foi a vez do Bira, que levou um cartaz com a foto da sua sobrinha que tem o nome de Alcione. A cantora ficou emocionada e agradeceu a homenagem, autografou o cartaz e agradeceu o carinho de Bira. Por fim, chegou a minha vez, com meu coração querendo sair pela boca, conversamos. Ela falou do seu novo trabalho e autografou alguns encartes meus.

Quando ela me agradeceu pelo carinho, disse que ela era especial e que ela me fazia superar medos e obstáculos. Ela quis saber porquê e eu rapidamente resumi para ela o meu “medo”, a minha síndrome. Alcione colou a mão na minha cabeça, me abençoou e disse “pequena, você vai ficar boa”. Ao me levantar, ela olhou para mim mais uma vez e agradeceu novamente, me mandando um beijo. A emoção foi única! Saí de lá renovada e com a certeza de que ela é mais do que especial.

Quando saímos do camarim, o palco ainda estava sob o comando de José Augusto. O cansaço era claro no semblante da galera do blog, que já estava há mais de 8hs esperando a entrada da Alcione. Mas às 3:00hs da manhã ela pisou no palco e todo o cansaço foi para bem longe. A galera cantou, gritou e se encantou novamente com aquela voz que só ela tem. O show foi curto. Alcione cantou por 40 minutos. Mas foi o suficiente para matar a saudade do povo do nordeste. Ela, durante o show, carinhosamente agradeceu aos fãs e disse que tinha gravado duas músicas no novo trabalho a pedido da gente. Cantou “Medo”, “Metade de Mim” e levou o blog ao delírio. Ao terminar o show, agradeceu ao povo pernambucano e deixou a gente com aquele gostinho de quero mais.






Nenhum comentário:

Postar um comentário