Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


13 janeiro, 2012

Estreia no Rival

Por Yann Fernandes
Eram por volta das 18:30hs da tarde e a rua Álvaro Alvim começava a ganhar movimento por conta do show da nossa Marrom. Como chagamos cedo, ficamos conversando em frente ao teatro com Penco, percussionista da Banda do Sol. Às 19 hs, quando a entrada foi liberada, nós entramos. Logo na entrada, avistamos Vera que,  como toda a atenção, veio nos cumprimentar.

Enquanto esperávamos o show, fomos até o hall intimo do Teatro, onde ficamos conversando com Ivone, irmã de Alcione, e Carlos Fernando Marão. Ao sinal de Vera e Solange, fomos para a platéia pois logo em seguida, o show iria começar. Eram por volta das 20:15hs, as luzes abaixaram e já foi possível ouvir o tom de Tem Dendê/Figa de guiné. As cortinas se abriram e, para aumentar o suspense, a Marrom não estava ali no centro. Surgiu radiante, entrando pela lateral do palco, toda de branco... linda!

O show, teve de tudo... Além da Cama, Mulher Ideal, A loba, Poder da criação, Meu ébano... Entre uma faixa e outra, um  papo informal com toda a plateia, que retribuía com risos e comentários.

O show teve seu lado sofisticado, com a Marrom interpretando os stands internacionais como Estate, Todavía, Comme Ils Disent,  Passione Eterna ....  e ainda cantou músicas do DVD gravado na Mangueira como “ Metade de Mim “, “Medo”, Beco Sem Saída” entre muitos outros sucesso. No final do show, Alcione cantou “Jamaica a São Luiz” em homenagem a sua terra natal e emendando, cantou o enredo da Beija Flor para o carnaval 2012, que contará a história da Ilha de São Luis na Avenida. E como não poderia faltar, cantou o enredo da Mangueira  também, encerrando o Show com “Despedida”.


Após o espetáculo, fomos para o hall íntimo do teatro esperar que Vera nos chamasse para que fossemos falar com Alcione. Entramos no camarim e fomos recebidos com a alegria de sempre. Comentamos o show, entregamos uma blusa que fizemos de presente para ela e tiramos nossas fotos. Agradecemos por mesmo cansada nos receber e ela atenciosamente retribuiu. Nos mandou um abraço e fomos embora ! A estréia não poderia ter sido melhor... com pé direito, esquerdo, mãos, braços e pernas !!! Daquele jeito!





Nenhum comentário:

Postar um comentário