Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


23 março, 2012

Alcione, a mangueirense!

Por Raymondh Junior
Alcione Dias Nazareth, a Marrom, de São Luís do Maranhão para o mundo! Essa mangueirense apaixonada se viu no ano de 2011 na quase obrigação de desfilar pela Beija- Flor de Nilópolis, que homenageou o Rei Roberto Carlos, porque a Marrom já gravou algumas músicas de RC e na justa homenagem da Beija ao Rei, havia uma alegoria de mulheres que cantaram as belas obras do Rei; era simpático e carnavalesco que Alcione estivesse no desfile, porque na verdade o que esta mulher faz não é uma disputa a todo preço por títulos para a Estação Primeira de Mangueira, sua escola de coração, e sim a festa do povo, chamada carnaval, mas é claro que ela um dia antes brilhou na Sapucaí com a Mangueira.

Alcione se identificou com a Mangueira desde que veio morar no Rio de Janeiro, e por esta escola já demonstrou todo seu amor, com músicas e homenagens que estão guardadas na memória do samba e do carnaval carioca, fundadora, incentivadora e principal colaboradora da Mangueira do Amanhã (escola mirim da Estação Primeira de Mangueira), esta ilustre mangueirense jamais poderia ser confundida como torcedora de outra agremiação, ela é a cara da Mangueira, mesmo estando na sinopse, no samba enredo e no desfile da Beija-Flor em 2012 mais uma vez, numa grande homenagem à sua terra natal, o estado do Maranhão. Tem gente que anda por Nilópolis achando que Alcione poderia estar encantada pela Beija, na verdade o respeito pelo mundo do samba sempre foi marca de Alcione, mas daí a supor que o seu coração não seria verde e rosa, seria no mínimo um absurdo!

Ela é dessas mangueirenses que desfila, ensaia, canta, puxa samba enredo, frequenta o Palácio do Samba, e veste a camisa, orgulho da nação verde e rosa. Pessoalmente, eu jamais esquecerei o show da virada de 2010 nas areias de Copacabana, quando com minha camisa da Mangueira cheguei bem perto do palco e estendi uma bandeira da Estação Primeira de Mangueira, e a Marrom olhou para mim e fez um gesto simpático de reverência ao pavilhão, no final ainda exclamou: "Salve, a Estação Primeira!" Para o mangueirense isso é o que nos faz seguir em frente, orgulhosos de ter em nossas galerias essa grande mulher, artista, mangueirense de verde e rosa.

E nós seguimos em frente, juntos, torcendo não apenas pelo sucesso desta maravilhosa cantora brasileira, mas pela fraternidade das escolas de samba, da harmonia, que faz do carnaval uma grande família, que uma vez por ano disputa um título, e não uma guerra. Um desfile de paz, amor, que revela a cultura desse país, no maior espetáculo do planeta: os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro.

SALVE A ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA!

Axé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário