Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


27 junho, 2012

Aquele ano em Mangueira...

Por Raymondh Junior
Até o fim da última década era um sucesso reconhecido até fora do país, o investimento da Estação Primeira de Mangueira na área social começou em 1986 como sonho do presidente Carlos Alberto Dória e de alguns idealistas ligados à escola, entre eles o então professor de educação física Francisco de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira, e a saudosa Alice de Jesus Coelho, a Tia Alice, idealizadora do Camp Mangueira - programa criado para completar a educação escolar de jovens, treinando-os para o mercado de trabalho.

Em 1987, nasceu pelas mãos da cantora mangueirense, Alcione, e de nossa saudosa Dona Neuma, a Mangueira do Amanhã. Além da escola de samba mirim, foi criado o Projeto Saúde. Em 1989, a Rede Ferroviária Federal colocou à disposição um terreno de 12 mil metros quadrados, onde começou a ser construída o que hoje é a Vila Olímpica da Mangueira.

Os primeiros louros começaram a ser colhidos em 1990. O programa foi indicado como o melhor já realizado no Brasil. Em 1994, mais um degrau: como parte do Projeto Educação, foi inaugurado o Ciep Nação Mangueirense, onde centenas de crianças e jovens passaram a ter aulas o dia inteiro. Dois anos depois, na administração Muda Mangueira (capitaneada pelo presidente Elmo José dos Santos), deu-se a ampliação do Projeto Social para a quadra, liderada pela então primeira-dama de Mangueira, Célia Regina Domingues.

E em 1997, apoteose maior, a Estação Primeira de Mangueira recebeu o prêmio de melhor programa social do mundo, das mãos do então presidente dos Estados Unidos da América, Bill Clinton. O evento movimentou todo o país, com a presença o maior líder político do mundo, e a festa não poderia ter sido diferente, nosso eterno mestre Jamelão, a respeito da experiência de Clinton na verde e rosa, resumiu muito bem ao declarar: "ele está mais feliz do pinto do lixo". Era a glória para uma escola de samba que ao longo de sua história se tornou uma das maiores Instituições Culturais deste país.

Os projetos sociais da Mangueira, hoje muito da comunidade de forma mais concreta, do que propriamente da escola de samba, seguem como referência para uma juventude que precisa apenas de oportunidades, visionário e afirmativo, para uma nação que é verde e rosa.

Axé!

Fonte: SRZD

Nenhum comentário:

Postar um comentário