Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


22 agosto, 2012

Série "Delegacia de mulheres" volta ao ar no Canal Viva - Seriado exibido em 1990 abordava a rotina de uma delegacia de atendimento à mulher. Isso bem antes de leis que assegurassem o direito feminino, como a Maria da Penha




“Você não vai ter sossego na vida, seu moço/ Se me der um tapa/ Da dona "Maria da Penha/ Você não escapa", diz o samba gravado por Alcione em 2007. A música fala da Lei Maria da Penha, criada há seis anos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

A mesma Alcione cantou, em 1990, o tema de abertura do seriado Delegacia de mulheres, exibido pela TV Globo semanalmente com duração de 18 episódios. Naquela época, a música era “Velha cicatriz”, que falava da vontade da ‘massa’ ser feliz. Violência, agressões, humilhações, sonhos, amores. Tudo isso passou na série que mostrava o cotidiano de uma delegacia especializada nos direitos da mulher, em uma época em que leis e atendimentos de violência contra o sexo feminino ainda engatinhavam.

Criado pela autora Maria Carmem Barbosa, o seriado volta ao ar a partir deste domingo (26), às 11 da noite, no Canal Viva. No elenco, nomes como Eloísa Mafalda (delegada Celeste), Lúcia Veríssimo (Marineide, uma policial linha dura), Zilda Cardoso (escrivã Adelaide), Susana Vieira (a detetive Rute Baiana), além de Cininha de Paula, Mayara Magri, Cissa Guimarães, Stella Miranda e Marcos Paulo.

Para retratar o cotidiano de uma delegacia que atendia ocorrências envolvendo mulheres, Maria Carmem contou com a ajuda da pesquisadora Schuma Schumaher, uma especialista no direto da mulher. Mesmo assim, foi alvo de protesto de delegadas na época. Elas cobravam da autora mais coerência nos episódios. “O mundo real de uma delegacia da mulher é uma barbárie. Fazer uma reprodução fiel seria muito complicado”, diz Maria Carmem, em conversa com ÉPOCA para relembrar a série.

Nenhum comentário:

Postar um comentário