Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


25 junho, 2013

Alcione chegou para nos trazer alegria

Por Yann Fernandes
O show de lançamento da turnê Eterna Alegria, no dia 21, no Teatro Vivo Rio, começou às 22h15min., com uma floresta e borboletas que inundavam o palco. Mas não se via a cantora. Ao levantar a cortina, apareceu Alcione entre as borboletas e plantas projetadas no cenário. Entoando os versos de Eterna Alegria com toda força e animação, contagiou o público logo na primeira música. Era nesse clima que seria o show!

Marrom seguiu cantando o samba-rock, produto brasileiro de Xande de Pilares, que concentrou as atenções no palco pela magnitude da letra! Cantou as músicas do cd novo. Uma delas foi Direitos Iguais, que arrancou suspiros da plateia pela interpretação. Podia se ver a comemoração da produção que via da cochia a música fazendo o esperado sucesso. Marrom cantou também Pontos Finais de Ana Carllina, e outras: Ogum Chorou que Chorou, A Dona Sou Eu (essa o público cantou junto) e  Bate Palma Aê (uma das músicas inéditas mais aplaudidas).



Mas todos nós sabemos que Alcione nunca abandona seus sucessos quando inicia um novo trabalho, e neste novo astral resgatou músicas de Jorge Aragão e fez o pout-pourri Novo Endereço/Ontem/Fora de Ocasião, que foi fortemente aplaudido pelo público. Em homenagem à Fátima Guedes, da qual Alcione é assumidamente fã ,cantou o pout-pourri Tanto Que Aprendí de Amor/Sete Véus. Cantou também Gostoso Veneno, Pior é Que eu Gosto, Meu Ébano, Você Me Vira a Cabeça. E nem só de sambas se faz um show de Alcione. Veio, então, Magia do Palco, homenagem ao amigo-irmão Emílio Santiago. Alcione chorou cantando a música.



No final do show, voltou vestida para o xeque-mate! Com uma kaftan estampada, cantou Essa Gente de Mangueira, música inédita e no bis teve Eterna Alegria, para firmar mesmo!!
Agora, Bate palma aêêêê que a Marrom arrasou, meu colega!

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário