Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


30 junho, 2013

Alcione saúda 'Essa gente de Mangueira' com inédita no roteiro de show

Como é praxe nos shows de Alcione, há sempre um momento verde-e-rosa no roteiro para celebrar a escola de samba Estação Primeira de Mangueira. No show Eterna alegria, que teve sua estreia nacional no Rio de Janeiro (RJ) em apresentação que lotou a casa Vivo Rio na noite de 21 de junho de 2013, a saudação à agremiação carioca foi feita com música inédita, Essa gente de Mangueira, de autoria de Toninho Geraes. A exaltação à Mangueira culminou com o samba-marcha Tem capoeira (Batista da Mangueira, 1973). Antes de reverenciar a sua escola, Alcione - vista em foto de Rodrigo Amaral - apresentou 14 das 16 músicas do CD Eterna alegria, lançado esta semana pelo selo Marrom Music com distribuição da gravadora Biscoito Fino. Eis o roteiro seguido por Alcione na estreia nacional de Eterna alegria, show dirigido e produzido com todas as cores da Marrom por Solange Nazareth, irmã e empresária da cantora:

* Eterna alegria (Júlio Alves, Ramirez, Carlos Jr. e Alex Almeida, 2013) - instrumental
1. Eterna alegria (Júlio Alves, Ramirez, Carlos Jr. e Alex Almeida, 2013)
2. Produto brasileiro (Xande de Pilares, Gilson Bernini e Brasil do Quintal, 2013)
3. Pior é que eu gosto (Isolda, 1988)
4. Quem é você (Ed Wilson e Cury, 1984)
5. Difícil de aturar (Max Viana, Arlindo Cruz e Fred Camacho, 2013)
6. Sentença (Serginho Meriti, Claudemir e Ricardo Moraes, 2013)
7. Sem palavras (Francis Hime e Thiago Amud,2013)
8. O que eu faço amanhã? (José Augusto, 1986) /
9. Meu vício é você (Chico Roque e Carlos Colla, 1987)
10. A loba (Paulinho Rezende e Juninho Peralva, 2001)
11. Ogum chorou que chorou (Arlindo Cruz, 2013)
12. A dona sou eu (Paulinho Rezende e Nenéo, 2013)
13. Eh, eh (Djavan e Zeca Pagodinho, 2013)
14. Pontos finais (Ana Carolina, Chiara Civello e Dudu Falcão, 2013)
15. Amor surreal (Michael Sullivan, Carlos Colla e Miguel Plopschi, 2012)
- com coreografias os atores Nando Cunha e Solange Badim
16. Direitos iguais (Sereno e André Renato, 2013)
17. Tanto que aprendi de amor (Fátima Guedes, 1981) /
18. Sete véus (Fátima Guedes, 1996)
19. Bate palma aê (Paulinho Carvalho e Cacá Franklin, 2013)
20. Na mesma proporção (Jorge Aragão e Nilton Barros, 1984) /
21. Novo endereço (Jorge Aragão e Sombrinha, 1987) /
22. Ontem (Jorge Aragão, 1988)
23. Fora de ocasião (Arlindo Cruz e Marquinhos PQD, 1995)
24. Chapéu de couro (tema de domínio público) - adaptação de Papete e Manuel Pacífico
25. Meu ébano (Paulinho Rezende e Nenéo, 2005)
26. Gostoso veneno (Wilson Moreira e Nei Lopes, 1979)
27. Você me vira a cabeça (Me tira do sério) (Chico Roque e Paulo Sergio Valle, 2001)
28. Magia do palco (Altay Velloso, 2013)
29. Essa gente de Mangueira (Toninho Geraes) - inédita
30. Tem capoeira (Batista da Mangueira, 1973)
* Eterna alegria (Júlio Alves, Ramirez, Carlos Jr. e Alex Almeida, 2013) - Instrumental
Bis:
31. Eterna alegria (Júlio Alves, Ramirez, Carlos Jr. e Alex Almeida, 2013)

Fonte: Blog Notas Musicais

Nenhum comentário:

Postar um comentário