Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


01 julho, 2014

Alcione e bois animam mais uma noite no Arraial da Lagoa

Vinte mil pessoas cantam ao som da cantora Alcione e grupos de bumba-boi em mais uma noite de festa em São Luís.

O terreiro do Arraial da Lagoa, na Lagoa da Jansen, em São Luís, teve uma noite movimentada na última sexta-feira (27), com o show da cantora Alcione e apresentações de grupos de bumba-meu-boi. “A Copa da Cultura Brasileira” estava bem representada nas unhas enfeitadas em verde e amarelo da grande estrela dessa noite, a cantora Alcione. A maranhense declarou-se uma fã incondicional de São João e da Copa do Mundo. Em entrevista coletiva, ela foi categórica: “Se Deus quiser seremos hexa. Sou uma torcedora ufanista, daquelas que enfeita a casa e pinta as unhas com nas cores da bandeira”.

Quando o assunto foi cantar em sua cidade natal ela não escondeu o frio na barriga: “É uma responsabilidade muito grande cantar para os meus conterrâneos. Aqui povo sabe tudo da minha vida, das minhas músicas. Não posso fazer qualquer coisa”, disse em tom de brincadeira.

Para o repertório da noite ela prometeu uma mistura entre seus sucessos e músicas de outros artistas maranhenses. Saudosa quanto ao São João que brincava na infância, Alcione confessou que sua grande paixão são o brilho e as bandeirinhas que estão por toda parte nessa época do ano. “Coloquei toda a minha banda com camisas de bandeirinhas para homenagear as festas juninas. Maranhense gosta de São João e entende. Essa festa é a nossa cara”, completou.

No fim da coletiva, a cantora agradeceu mais uma vez o convite do Governo do Estado para que ela se apresentasse no São João 2014: “Espero que sempre seja convidada pelo Governo para minha apresentar nessa grande festa. É sempre uma honra”. Para o deleite dos jornalistas presentes na coletiva, Alcione encerrou com uma palhinha de “Todos Cantam Sua Terra”, do compositor maranhense João do Vale.

SHOW DA NOITE

Alcione subiu ao palco às 22h20 cantando a “Namorada do Sol”, música que homenageia a cidade de São Luís e suas belezas naturais. Logo após, saudou o público presente e sua banda que veio do Rio de Janeiro devidamente vestida a caráter junino. A cantora não economizou nos sucessos e emendou um atrás do outro – “Estranha Loucura”, “Além da Cama”, “Amor Surreal”, “Meu Ébano”, “Você Me Vira a Cabeça” e “A Loba” fizeram a cabeça e o coração dos presentes na noite.

A Marrom não deixou de homenagear a cultura maranhense e colocou no seu repertório toadas de bumba-boi e músicas do tambor de crioula. A famosa “Boi de Lágrimas” emocionou o público e a animada “Maranhão Sou Eu” fez o povo dançar. O lado sambista de Alcione não poderia ficar de fora, “Não deixe o samba morrer” empolgou a platéia que estava cantando todas as músicas como um elegante coral.

O casal Robenilson e Polissandra curtiu o show em clima de romance. Robenilson, que é músico, contou qual é sua música preferida da Alcione: “Eu gosto bastante de A Loba. O show dela está sendo maravilhoso”. Polissandra pretende voltar no último dia do Arraial: “Quero voltar no domingo para assistir Alceu Valença, estou na expectativa”, confessou. A Marrom cantou e encantou mostrando que o São João no Maranhão combina com romance e samba.

BUMBA-MEU-BOI

Depois de uma pequena chuva, a animação na Lagoa começou com a apresentação do Boi de Santa Fé, de sotaque de zabumba. Os caboclos de fitas, as índias e os famosos cazumbás deram o tom da batida frenética dos tambores e pandeirões. A família maranhense está presente não só assistindo às atrações da cultura local, mas também estão dentro dos bumba-bois mudando sua rotina no período do São João para acompanhar as brincadeiras.

A maranhense Cleina acompanha o Boi de Santa Fé ao lado do filho Luís Guilherme, com apenas um ano de idade, e do marido Luís de Franca que é brincante do boi. A mãe é só orgulho ao falar do seu pequeno herdeiro: “Meu sonho era ter logo um filho para que ele pudesse dançar no boi. Acompanho meu marido e o Guilherme em todas as apresentações e acho muito legal fazer isso”, declarou com entusiasmo.

Seu Domingos, que há 15 anos brinca no Boi de Santa Fé tem uma companheira pra vida e para todas as apresentações desde que se casaram. Dona Maria da Graça, sua esposa, é a fiel escudeira nas apresentações. Está sempre a postos para oferecer um pouco d’água ou as famosas cachacinhas para calibrar os brincantes. “São João é uma festa bonita, tem a alegria que todos adoram. As pessoas distribuem sorrisos nessa época”, disse Domingos, que hoje é aposentado e confessa que sua vida gira em torno do folclore maranhense. “Danço boi e tambor de crioula, minha vida é o São João”, relatou com alegria.

A segunda atração da noite foi o Boi Brilho da Ilha, que animou o público com o sotaque da orquestra. O vermelho e amarelo das indumentárias enfeitou o terreiro que dançou ao som do boi. Logo depois o guarnicê ficou por conta do Boi Encanto de Rosário, que com sotaque de orquestra também sacudiu os presentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário