Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


21 abril, 2015

Show Armazém Vilas - Lauro de Freitas

Por Bruno Castro e Igor Sacramento

Dia 18/04/15, Lauro de Freitas recebeu no palco da Casa de Shows Armazém Vilas o Show da maior cantora popular deste país: Alcione, a nossa querida Marrom.

O Show estava marcado para às 22hs. Chegamos na casa por volta das 20h30min. Às 21hs os portões se abriram e o público pouco a pouco foi chegando. Só falavam da emoção que seria aquela noite com Alcione. A expectativa do era tanta, que foi possível ouvir muitas coisas, do tipo:

"- Ah! Eu gosto da Alcione romântica, não da sambista."

"- Alcione é a cantora da sofrência. Hoje eu vou chorar e beber, porque amar tá difícil."

A abertura do show ficou por conta da Banda Meninote, com o Sertanejo Universitário. Quando Marrom chegou à casa, fomos recebidos pela sua produção, com aquele carinho e atenção de sempre. A cantora nos recebeu em seguida, no camarim, com uma imensa alegria. Perguntou logo pela sua fã mirim Amanda. Tirou foto, deu autógrafo, sempre com um sorriso largo estampado em seu rosto. Muito satisfatório para nós, fãs, receber esse carinho, atenção e respeito de uma grande Diva. A ela, nosso eterno muito obrigado!

Alcione abriu o show falando de Mangueira, com a música Mangueira é Mãe. Depois, prosseguiu com grandes sucessos como Além da Cama e Estranha Loucura. A cada música, o público fiel fazia coro. Também incluiu no repertório suas mais recentes músicas de trabalho: Produto Brasileiro e Sentença.

Falou da sua relação com a Bahia. Afinal, desde o início da sua carreira, sempre gravou canções de compositores baianos, e no ano passado recebeu o título de Cidadã Soteropolitana. Fez uma homenagem à cidade, num pot-pourri com as músicas Ilha de Maré, Araketô e Afreketê.

Cantou Resumo e fez um número com o seu trompete; nunca visto antes por nós. Junto com a Banda do Sol, fez o público fazer uma viagem à Cuba.

Entre uma música e outra, Alcione interagiu com o público, conversou e contou as suas histórias. Atendeu ao pedido fervoroso dos fãs que gritavam: Ou ela ou eu! Cantou a música, seguida de um outro sucesso de 1986: Garoto Maroto.

Outra grande surpresa do show foi quando a irmã da Alcione, que faz backing vocal na Banda, assumiu o palco e cantou Gostoso Veneno. Arrebentou!

Alcione continuou interpretando seus sucessos, até se despedir do palco em praticamente 1h30min de show. E a pedido do grande público, voltou para o "bis" com Não Deixe o Samba Morrer.

Marrom encantou a todos que ali estavam, principalmente aqueles que puderam ver o seu show pela primeira vez. Saíram dali com um único desejo: que o próximo não demore. Mais uma vez mostrou que é a mais versátil, completa, competente e popular cantora brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário