Sejam Bem-vindos


Quem a ouve não esquece... Voz exuberante e inconfundível à serviço da alma, refletindo a entrega de quem não teme se doar por inteiro. O poder e a sensualidade da voz negra que tinge a aquarela da música brasileira de marrom, com todo o suingue, brilhantismo e carisma de quem tem certeza que não está aqui por acaso. Vinte e oito discos de ouro e oito de platina, sendo dois deles de platina duplo. Inúmeros prêmios da MPB: Sharp de Música, Caras, Globo de Ouro, Rádio Globo, o Antena de Ouro, Tim, entre outros. Além desses, prêmios de grande vulto internacional como O Pensador de Marfim (concedido pelo Governo de Angola), Personalidade Negra das Artes (concedido pelo Conselho Internacional de Mulheres) e A Voz da América Latina (concedido pela ONU). Este blog é dedicado à cantora mais popular do Brasil. Filha do nosso chão, orgulho nosso. Uma mulher, uma negra, uma nordestina, uma brasileira guerreira: Alcione, a Marrom!


17 dezembro, 2017

Eu Sou a Marrom - Show de estreia

Não! Ela não precisa de apresentação mesmo! Alcione chegou aos 45 anos de carreira no auge, excursionando por todo o Brasil e lotando as casas de shows, como fez ontem (16), no Ribalta, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Centenas de pessoas reunidas para assistir ao espetáculo de estreia do projeto "Eu Sou a Marrom", que vai incluir, além do show, um musical, um documentário e uma biografia!

Cenas do Maranhão e fotos antigas da cantora passadas no telão, ao som de "Resumo", prepararam o público para a entrada da Marrom em cena. Ela chegou cantando a música título do projeto e seguiu um roteiro recheado de grandes sucessos que marcaram sua trajetória, com direito a homenagens aos amigos Emílio Santiago e Clara Nunes.

A participação de Maria Bethânia foi um dos pontos altos. Cantaram "Negue" e "O meu amor" juntas e depois a convidada fez sozinha "Sonho impossível" e " Explode coração". Alcione então chamou a bateria da Mangueira e homenageou a amiga com o samba-enredo vitorioso da verde-e-rosa do ano passado.

Neste show, pelo roteiro denso, ela acabou não conversando muito com o público como costuma fazer. Mas quando abriu a boca, foi certeira, criticando com afinco o prefeito do Rio, Crivella.

Antes de finalizar, chamou ao palco a irmã e produtora Solange Nazareth, que explicou um pouco sobre o projeto, agradeceu a presença de todos e a participação dos apoiadores. Ela também anunciou que a gravação do cd/dvd já tem dia e local marcados: 12 de maio, no Engenhão. Anotem aí!

Alcione cantou "Não deixe o samba morrer" e abriu caminho para a bateria da sua escola do coração, que encerrou o show presenteando o público com muito samba. Enquanto isso, recebeu o carinho dos amigos e do fã-clube no camarim.

De tudo o que vimos e sentimos, podemos dizer que este projeto já é um sucesso! 2018 promete muito para os fãs da Marrom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário